Um novo recomeço! Como enfrentar com coragem e força os términos que a endometriose acarreta a uma endomulher!

9

Por Caroline Salazar
Edição: doutor Alysson Zanatta

2018 acaba de começar e, neste ano, tive vontade de escrever o primeiro texto do ano no blog sobre um assunto muito importante para quem tem uma doença que pode destruir sonhos como a endometriose: o recomeço.

Eu poderia me inspirar na minha própria história, já que tive de recomeçar não só na minha vida pessoal, mas na profissional também. Mas minha inspiração deste texto será a história de uma querida leitora, a Renata.

A gente se conheceu em julho pelo Instagram. Ela estava a algum tempo sofrendo com a endometriose, após três cirurgias malfeitas, e o tentado desejo de engravidar do noivo, com quem firmou compromisso em janeiro de 2017 após sete anos de namoro (quando ele pediu a mão dela à sua mãe), precisando de uma luz no fim do túnel.

Começamos a conversar e indiquei um médico apto a fazer a excisão e retirar toda sua endometriose, um profissional que retiraria apenas sua doença pela raiz e respeitaria seu desejo reprodutivo de gerar uma vida, preservando seus órgãos reprodutores.

Renata já morava com seu noivo e, juntos, estavam construindo sua tão sonhada casa. Plano que foi adiado por conta das dores – ela teve de se afastar do trabalho – e pelo do alto custo da peregrinação em médicos que eles arcavam.

Não vou entrar em detalhes de toda sua história, vou deixar para ela mesma contar, mas como quase toda portadora que vive com dores fortíssimas e que não melhoram nem com morfina, Renata tinha muitos momentos ruins, aqueles mais depressivos.

Eu sei bem o que ela passava, revivi meu passado em vários momentos de nossas conversas.

Quatro meses após sua primeira consulta ela estava na mesa de cirurgia. Com vários e vários órgãos tomados pela endometriose. Mais de oito horas de cirurgia, com apoio do noivo e de ambas as famílias. E, sim, mesmo com endometriose até em seus ureteres, onde precisou de reimplante, ela teve seus órgãos reprodutores preservados.

Quando finalmente ela passaria seu primeiro Natal bem e sem dores (ela operou em 4 de novembro e em 20 de dezembro já estava muito bem das dores), eis que no dia 23 de dezembro, ela recebeu uma mensagem de seu noivo no whatsapp pondo fim ao relacionamento.

Um relacionamento de oito anos entre namoro e noivado. Teve de voltar para casa da mãe. Logo na sequência ela me enviou a mensagem e confesso que fiquei desesperada.

Desesperada porque sei que mesmo a endometriose não tendo sido a causa direta do término, indiretamente a doença pode ter sido sim uma das causas.

Desesperada porque eu também já passei por isso e sei como é desesperador esta situação. Imagina na época de festas de fim de ano?

Desesperada porque ela ainda se encontra em fase de recuperação de sua cirurgia. Apesar de ela já ter voltado ao trabalho, ela ainda está no pós-operatório, pois 50 dias é muito pouco tempo para que ocorra a cicatrização interna.

Desesperada, pois além de se livrar das dores que tanto a atormentavam, ela planejava engravidar. Esse também foi um dos motivos que a levou para a cirurgia: tentar engravidar naturalmente.

Desesperada porque esta era sua chance de recomeço após sua tão sonhada cirurgia. Seu recomeço de uma vida feliz e sem dores ao lado de uma pessoa que fazia planos e mais planos com ela. Novamente me vi nesta situação… de recomeço!

E eis que em plena madrugada do dia 26 de dezembro ela surge “pleníssima”, isso mesmo, foi essa palavra que ela escreveu quando eu perguntei como ela estava.

Desta vez fiquei emocionada. Começamos a conversar e vi que ela estava tão forte, tão segura da situação que eu mesma não acreditei.

Conversamos na madrugada e, no dia seguinte, decidi escrever este texto, pois sei que milhares de endomulheres estão passando pela mesma situação.

Percebi que tudo que a Renata sofreu nesses últimos anos com as dores da endometriose – tanto física quanto da infertilidade – a fortaleceu e muito.

Eu tive receio de que ela pudesse entrar numa depressão, pois na mensagem do término, ele disse que  estava com ela apenas por conveniência e preocuapado com a doença. Ou seja, por pena. Diz o ditado que quem tem pena é galinha.

Mas percebi que ela está tão feliz vivendo há dois meses sem suas terríveis dores, que, mais uma vez, me emocionei. Fiquei emocionada por ver sua força, sua garra e coragem de enfrentar tudo isso num pós-operatório.

Fiquei emocionada, pois 21 dias antes do término ela comemorou seus 31 anos de vida e fazia planos… mas os planos de Deus não são os os mesmos que os  nossos. Nosso grande Pai sabe o que é melhor para cada um de seus filhos.

Fiquei emocionada, pois agora ela poderá recomeçar sua nova vida. Muito mais forte, muito mais segura de si. Sei que agora ela está preparada para enfrentar muitas outras batalhas.

Fiquei emocionada, pois 2018 está começando e ela terá uma nova chance de recomeço. Assim como ela, como eu, você também terá esta chance. Basta você se dar esta chance.

Se você está passando por uma situação semelhante à da Renata, não se desespere! Você não está sozinha. Seja forte, tenha fé!

Todos nós temos a chance de recomeçar algo a qualquer momento, independente do dia e mês, em especial, nesta época do ano que é tão propícia a isso. Afinal, após toda tempestade sempre vem a bonança.

Que nosso 2018 seja um ano de muitos recomeços. Renata, estou muito orgulhosa de você. Que você seja inspiração para muitas endomulheres que estão passando por situação semelhante à sua.

Que o seu recomeço e o de muitas endomulheres neste novo ano que está se iniciando seja leve, alegre e que você tenha muita saúde, pois ser guerreira para nós portadoras deixou de ser um substantivo e já virou um adjetivo das endomulheres.

Um excelente recomeço a todas as leitoras do A Endometriose e Eu. Beijo carinhoso!

Fonte da imagem: Silêncio entre som, google

9 Comentários

  1. Nossa esse texto realmente me emocionou!!! Neste exato momento estou deitada em minha cama “curtindo” uma dor no ciático ( tenho endo no ciático) pensando em como meus planos de ter filhos e tantos outros foram frustados por esta doença. Mas como vc disse, os planos de Deus não são os nossos e temos que ter fé em acreditar que os planos Dele são melhores que os nossos. Obrigada por compartilhar a história da Renata, a dor de uma consola a dor de outras!

  2. Andreia Cristina. Tudo bem? É verdade. Eu sinto qie Deus está limpando a casa e me guiando para os seus projetos feitos para mim. Eu creio. Realmente, ficamos dependentes das pessoas e nos anulam os muito. Isso vale para todas nós. Precisamos nos amar e nos bastar. Com tudo no qie passamos, viramos leoas. Então, vamos ser felizes sim!!!!! Uhulll. Um grande beijo e obrigada pelo carinho. Graças à Deus, temos esse blog maravilhoso como uma ferramenta de aprendizado e de motivação. Esse blog me deu mais firmeza de entender o que passo é o que eu posso buscar. Eu não me senti sozinha em nenhum momento pois tenho vocês aqui comigo. As minhas lindas e guerreiras endoaendoamigas. Felicidades para todas nós. Beijos.

  3. Lindo texto! Fiz minha segunda cirurgia dia 08/01 e estou de repouso, em recuperação. Dessa vez foi com equipe multidisciplinar e que diferença entre médicos que entendem de fato sobre a endometriose e os que pensam que entendem. Ler sobre um pouco da história da Renta é realmente muito inspirador, pois tomei esse momento como um divisor de águas em minha vida e peço a Deus essa mesma força que ela encontrou.
    Obrigada Caroline pelo excelente e importante trabalho que você faz.

    • Oi, Josiane. Eu fico muito feliz em saber que com essa minha história, consiga trazer um pouquinho de garra e motivação para as nossas amigas. Assim, como muitas histórias me ajudaram, também. Eu estou aqui torcendo pela a sua recuperação e que você consiga ter a sua plenitude. A Carol certamente deveria ganhar um troféu, ela nos ajuda tanto com esse blog, que eu acho que nem ela tem essa noção da grandeza desse Blog. Que alegria em poder fazer parte desse pedacinho da história do blog. Fiquem com Deus. Beijão.

  4. Cristina Lara Em

    Que texto forte e bonito! Não tem como não se emocionar. Força Renata!! Com certeza grandes e boas surpresas estão por chegar na sua vida. Um excelente 2018 a todas!!!

    • Cristina Lara. Obrigada pelo carinho e força. É sempre bom contar com vocês aqui, Amigas. Esse ano será de grandes conhecimentos e alegrias. Vamos aproveitar muito o ano sem dor! Finalmente, plena. Beijão. 😚

  5. ANdreia Cristina de Oliveira Em

    Força Renata , Deus concerteza está te dando uma chance de ser realmente feliz, não dependemos de ninguém pra ser feliz a não ser de nós mesma e da presença de Deus , creia no renovo que Deus está fazendo na sua vida , seja feliz hoje é sempre ❤️

    • Oi, Josiane. Eu fico muito feliz em saber que com essa minha história, consiga trazer um pouquinho de garra e motivação para as nossas amigas. Assim, como muitas histórias me ajudaram, também. Eu estou aqui torcendo pela a sua recuperação e que você consiga ter a sua plenitude. A Carol certamente deveria ganhar um troféu, ela nos ajuda tanto com esse blog, que eu acho que nem ela tem essa noção da grandeza desse Blog. Que alegria em poder fazer parte desse pedacinho da história do blog. Fiquem com Deus. Beijão.

    • Andreia Cristina. Tudo bem? É verdade. Eu sinto qie Deus está limpando a casa e me guiando para os seus projetos feitos para mim. Eu creio. Realmente, ficamos dependentes das pessoas e nos anulam os muito. Isso vale para todas nós. Precisamos nos amar e nos bastar. Com tudo no qie passamos, viramos leoas. Então, vamos ser felizes sim!!!!! Uhulll. Um grande beijo e obrigada pelo carinho. Graças à Deus, temos esse blog maravilhoso como uma ferramenta de aprendizado e de motivação. Esse blog me deu mais firmeza de entender o que passo é o que eu posso buscar. Eu não me senti sozinha em nenhum momento pois tenho vocês aqui comigo. As minhas lindas e guerreiras endoaendoamigas. Felicidades para todas nós. Beijos. 😚