Publieditorial: A importância da terapia hormonal!

0

A Importância da Terapia Hormonal

Por Reginalda Russo, farmacêutica e coordenadora de Inovação da Fagron
Edição: Caroline Salazar 

A palavra hormônio vem do grego e significa “estímulo” ou “estimular”.

Hormônios são mensageiros químicos produzidos pelo nosso corpo, muito especializados e responsáveis por transmitir comandos para regular e controlar as mais variadas funções, atuando desde o crescimento de uma pessoa até a regulação da sua capacidade reprodutora, seu comportamento e seu metabolismo. 

Assim, a ausência ou carência de hormônios é incompatível com a vida e seria impossível viver sem eles. São eles que regulam a quantidade de açúcar ou cálcio, evitando seu excesso ou sua falta em nosso organismo.

São eles que transformam a criança em adulto, desencadeando as mudanças fisiológicas que ocorrem na adolescência. São eles que avisam o corpo que está na hora de dormir, que está na hora de comer e  até na hora de parar de comer.

Então por que, existe medo e insegurança quando o médico propõe um tratamento hormonal e o que faz muitas mulheres fugirem da terapia, acreditando que hormônios são cancerígenos?

Vamos desmistificar este medo através de algumas reflexões.

Quando um médico diagnostica um paciente com hipotireoidismo, ele lhe prescreve um hormônio para a tireoide, provavelmente para uso contínuo por toda a vida. 

Se um médico diagnostica um paciente com diabetes mellitus, ele lhe prescreve insulina, um hormônio produzido pelo pâncreas, provavelmente pela vida toda.

Quando uma jovem mulher vai iniciar a vida sexual, vai ao ginecologista que lhe prescreve um anticoncepcional para ela não engravidar, e ela vai fazer uso dele por muitos anos durante sua vida. 

Da mesma forma, uma jovem mulher com ovário policístico, provavelmente fará uso de anticoncepcionais, porque além de evitar uma gravidez indesejada, ele vai manter os sintomas da doença sob controle.

As clínicas de fertilização feminina prescrevem vários hormônios, exatamente em uma mulher que vai gerar um bebê e produzir mais hormônios do que em qualquer outro período de sua vida.

Em todos esses exemplos é feito uso de terapia hormonal sem medo ou insegurança e por quê? 

O fato é que como todos os tratamentos médicos, um tratamento hormonal deve ser bem indicado e requer uma avaliação médica individualizada e pormenorizada.

Há o momento certo para utilizar os hormônios nat simurais ou sintéticos e em um contexto adequado. Esses hormônios podem melhorar a qualidade de vida,  consertando o que é provocado pelo desequilíbrio do hormônio natural.  O segredo está no equilíbrio.

E no caso da endometriose, não é diferente. Quando o médico diagnostica uma paciente com a doença, quando o tratamento é clínico, ele prescreve sem nenhum medo e insegurança substâncias hormonais sintéticas de acordo com cada paciente.

Atualmente, médicos e pacientes dispõem de opções terapêuticas hormonais e não-hormonais, através da Medicina Personalizada para o tratamento da endometriose. 

Caso da Gestrinona em Pentravan® por via vaginal e do Miodesin™, ambos são tratamentos eficazes e inovadores da Fagron, especialmente desenvolvidos para a endometriose, e que tem devolvido a qualidade de vida para muitas mulheres, conforme demonstrado em estudos clínicos em mulheres com endometriose profunda  (lesões externas ao útero) e que não apresentaram resposta adequada aos outros tratamentos hormonais.

A Gestrinona em Pentravan® é um tratamento hormonal que tem demonstrado ser significativamente efetivo no controle da dor pélvica e redução das lesões endometrióticas com preservação da libido e desejo sexual e da massa magra.  O Miodesin™ é um produto natural de origem vegetal desenvolvido pela Fagron, poderoso anti-inflamatório e coadjuvante nos tratamentos da endometriose para rápido alívio da dor e dismenorreia. 

Ambos os tratamentos estão disponíveis através das farmácias de manipulação em todo o Brasil e devem ser sempre prescritos e acompanhados por um médico ginecologista. Converse com seu médico.

Referências bibliográficas:

MAIA Jr, H. Treatment of endometriosis and leiomyoma with the association of Miodesin and Gestrinone in Pentravan through the vaginal route. J Clin Rev Case Rep, Volume 3 – Issue 7, 2018.

MAIA Jr., H.; Clinical Experience with Vaginal Gestrinone in Pentravan in the Treatment of Endometriosis Pain; Austin J Reprod Med Infertil ; 2015,- 2; 4.

MAIA Jr., H. Treatment of Refractory Endometriosis-Related Pain with Vaginal Gestrinone in Pentravan Associated with Pinus Pinaster Extract and Resveratrol: A Preliminary Study. Gynecol Obst; 2014:4;9

MAIA Jr., H. Effect of vaginal gestrinone in Pentravan on endometriosis patients using Mirena®: A preliminary report. Clinical Obstetrics, Gynecology and Reproductive Medicine (COGRM) 2016;2(2). COUTINHO E.M. et at. Fertil Steril. 1988.

MAIA Jr. H. Effect of Vaginal Miodesin™ in Pentravan™ on the Response to Progestin Therapy in Patients with Deep Endometriosis and Adenomyosis. J Clin Rev Case Rep, 2019.

Imagem: Fagron

Comments are closed.