Publieditorial: Inovação e segurança no tratamento da SOP!

0

Por Lucia Gennari, farmacêutica da Fagron
Edição: Caroline Salazar

MyoQuiron™ inovação e segurança no tratamento da Síndrome dos Ovários Policísticos

A Síndrome do Ovário Policístico (SOP) é um distúrbio hormonal que provoca formação de cistos (bolsas líquidas) nos ovários.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a SOP afeta em torno de 105 milhões de mulheres em idade fértil, e representa uma das principais causas de infertilidade. Já o IBGE estima que 2,5 milhões de brasileiras têm a doença e 30% não conseguem engravidar.

Sua causa ainda não é totalmente esclarecida, mas algumas hipóteses sugerem origem genética associada a fatores ambientais. É caracterizada por um desequilíbrio hormonal que desencadeia menstruação irregular.

Entre os sintomas estão a dificuldade para engravidar devido a não ovulação e a produção excessiva de hormônio masculino (testosterona) que pode levar ao aparecimento de acne, excesso de oleosidade na pele, ganho de peso, queda de cabelo e crescimento excessivo dos pelos.

Alguns estudos indicam uma possível relação entre a doença e a resistência à insulina (hormônio que facilita a entrada da glicose para as células), pois o excesso deste hormônio na corrente sanguínea pode provocar o desequilíbrio hormonal. 

A SOP está associada também a fatores de risco cardiovasculares como obesidade, resistência à insulina, colesterol e triglicérides altos, pressão alta e taxa alta de açúcar no sangue.

A identificação de SOP na mulher em idade reprodutiva é essencialmente clínica, baseada nos sinais e sintomas, após exclusão de outras doenças com sinais e sintomas parecidos.

Devido à grande diversidade das apresentações clínicas e classificações, o planejamento do tratamento para SOP depende principalmente das características individuais de cada paciente e do desejo de engravidar ou não.

Os tratamentos convencionais incluem o uso isolado ou combinado de anticoncepcionais orais e metformina.

Os contraceptivos orais são indicados para mulheres que apresentam excesso de pelo e ciclo menstrual desregulado, porém não são boa opção caso a paciente queira engravidar, além de serem contraindicados para uso prolongado. 

A metformina tem sido a primeira escolha no tratamento, pois normaliza a menstruação e reduz os níveis de açúcar no sangue.

Contudo muitas pacientes apresentam eventos adversos gastrointestinais como diarreia, enjoo, vômitos e inchaço abdominal, além de não serem todas as pacientes que respondem ao tratamento.

Com o uso da Metformina Fagron Micro em Pentravan® via transdérmica, ocorre uma redução significativa destes efeitos colaterais, pois evita a passagem do medicamento pelo trato gastrointestinal, aumentando a adesão ao tratamento.

A Fagron, sempre preocupada com a saúde feminina e com o bem estar das pacientes, desenvolveu uma alternativa inovadora e segura para o tratamento da SOP: o MyoQuiron™.

Único suplemento vitamínico cientificamente formulado e com eficácia comprovada que regula a menstruação, a função ovariana,  a produção de hormônios e restaura a ovulação.

É uma excelente alternativa para mulheres que pretendem engravidar, além de não apresentar contraindicação para uso prolongado.

Auxilia na redução da concentração de açúcar e insulina no sangue, e, devido ao reequilíbrio hormonal, promove uma melhora significativa da acne, da oleosidade, da queda de cabelo, do crescimento excessivo de pelos e da perda de peso.    

Hábitos saudáveis como alimentação equilibrada e prática regular de atividades físicas são fundamentais para uma resposta positiva ao tratamento de SOP!

Converse sempre com seu médico!   

A Fagron, multinacional holandesa, está presente em mais de 30 países e é líder mundial em inovação e otimização no tratamento farmacêutico personalizado.

A Fagron é fundamentada em pesquisa e desenvolvimento científico magistral em que são consideradas as características exclusivas de cada paciente.

As informações contidas no texto não substitui a consulta médica. Todas as decisões relacionadas aos tratamentos de pacientes devem ser tomadas por profissionais autorizados.

Deixe seu comentário