“Com a palavra, o Especialista”, Doutor Tomyo Arazawa!

0

Há muita desinformação quanto o assunto é endometriose. Infelizmente é comum mulheres serem diagnosticadas com endometrioma, por exemplo, e a maioria dos especialistas acha que essa mulher tem apenas esse endometrioma, e não endometrioma + endometriose profunda na pelve.

Leia o texto “O Verdadeiro Significado do Endometrioma de Ovário” e saiba que o endometrioma nunca está sozinho. E a mesma coisa acontece com a endometriose umbilical. Esses dois tipos de endometriose nunca estão sozinhas, independente da idade da mulher/menina.

Em “Com a Palavra, o Especialista”, vamos tirar dúvida de uma mãe, colaboradora do nosso grupo do facebook e portadora de endometriose profunda, sobre a filha que está com suspeita de endometriose umbilical com apenas 16 anos, que menstrua há apenas 4 anos e sem cirurgia prévia.

O doutor Tomyo Arazawa tira a dúvida sobre qual exame detecta este tipo de endometriose e fala sobre a endometriose umbilical. A outra questão é sobre alimentação. A leitora quer dicas de quais alimentos ela deve consumir e quais evitar.

É importante lembrar que manter alimentação saudável é muito importante independente de ter endometriose ou não. Porém, é preciso saber o que é doença e o que é sintoma. Foi após distinguir sintoma da doença que comecei a aprender mais sobre endometriose.

A alimentação é ótima aliada para controlar os sintomas, especialmente a dor, o inchaço abdominal, e, consequentemente, melhorar a qualidade de vidas das endomulheres, mas não erradica a doença. E é importante ter sempre acompanhamento médico e nutricional de profissionais especializados. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

Atenção: Esta coluna existe para tirar sua dúvida e para que você vá mais informada na sua próxima consulta. Porém, ela não substitui sua consulta médica, e, em hipótese nenhuma, tratamos de casos específicos nesta seção.

– Minha filha de 16 anos está com suspeita de endometriose profunda e umbilical? Ela está com um caroço no umbigo e sai uma secreção com odor muito ruim todo mês, e ela tem muita dor no umbigo. Qual exame detecta a endometriose umbilical? Rosimary Santos, Rio de Janeiro – RJ

Doutor Tomyo Arazawa: Olá Rosi! Endometriose no umbigo pode ser vista já pelo exame físico, e os sintomas que você citou sugerem que seja, mas recomendo uma avaliação de algum especialista.

A endometriose umbilical também costuma ser um marcador para endometriose avançada na pelve, por isso além de avaliar a região do umbigo recomendo fortemente que faça uma avaliação completa! Desta forma, será mais garantido que sua filha tenha um tratamento efetivo!

– Quais as dicas do doutor para melhorar a alimentação? Gostaria de saber quais os principais alimentos que as portadoras devem evitar? Juliana Costa, Porto Alegre – RS

Doutor Tomyo Arazawa: Olá Juliana! A dica para TODAS as portadoras de endometriose, independentemente se já foi tratada, é de manter uma alimentação saudável! Não há necessidade de dietas extremas, com restrição a tudo. Mesmo porque cada paciente tem uma necessidade específica.

De modo geral, evite alimentos inflamatórios, como alimentos processados e ultraprocessados (industrializados). Dê preferência por alimentos in natura, como frutas e verduras, e também a fontes de proteínas vegetais, e carnes brancas (evite carne vermelha).

Açúcar refinado também pode ser um vilão para as dores! Temos um e-book com várias dicas sobre nutrição e endometriose, neste link (https://materiais.aliraclinica.com.br/ebook-nutricao-endometriose/ ). Mas, o que eu recomendo mesmo é procurar uma nutricionista especializada para te acompanhar!

Sobre o doutor Tomyo Arazawa:

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), doutor Tomyo Arazawa fez sua Residência Médica e especialização em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP. Foi o Preceptor de Ginecologia da FMUSP e se especializou em cirurgias minimamente invasivas (Endoscopia Ginecológica) também no Hospital das Clínicas da FMUSP, tais como cirurgias laparoscópicas, histeroscópicas e cirurgias robóticas.

Tem título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia e em Endoscopia Ginecológica, ambas pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia). É membro da Sociedade Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (SOGESP), da American Association of Gynecologic Laparoscopists (AAGL) e da International Pelvic Pain Society (IPPS).

 

Comments are closed.