“Com a Palavra, o Especialista”, Doutor Tomyo Arazawa!

0

Muitas mulheres quando recebem o diagnóstico da endometriose logo pensam: “vou poder ter filhos?”. Cerca de 50% das endomulheres podem ter dificuldade para engravidar, mas isso não significa que elas são ou serão inférteis.

A infertilidade assombra muito as portadoras de endometriose. Por isso o diagnóstico precoce da doença é fundamental para iniciar o quanto antes o tratamento e, consequentemente, preservar a fertilidade da endomulher.

Porém, para aquelas que já sabem que precisam de tratamento de reprodução humana, há sempre a mesma dúvida: faço a cirurgia para endometriose ou tratamento de reprodução humana?

O que é mais prejudicial para a fertilidade: o local dos focos ou ou o grau da doença em órgãos que não seriam reprodutivos, como o intestino? Em “Com a Palavra, o Especialista”, o doutor Tomyo Arazawa tira essas dúvidas.  

O mais importante é a portadora ser bem acompanhada. Ser acompanhada por um especialista que realmente entenda sobre a doença, especialmente, se precisar de cirurgia. Beijo carinhoso! Caroline Salazar 

Atenção: Esta coluna existe para tirar sua dúvida e para que você vá mais informada na sua próxima consulta. Porém, ela não substitui sua consulta médica, e, em hipótese nenhuma, tratamos de casos específicos nesta seção.

– O que é mais prejudicial para a fertilidade: o local dos focos ou o grau da doença em órgãos que não seriam reprodutivos, como o intestino? Gerlaine Freire – Guarapari/ Espírito Santo

Doutor Tomyo Arazawa: Olá Gerlaine, não há como falar o que seria mais prejudicial para a fertilidade. A endometriose por si só já pode atrapalhar, independente de onde estiver e do grau da doença.

Mas, de modo geral, as pacientes com endometriose intestinal já têm um grau bem avançado da doença, incluindo em outros locais. Por isso essas pacientes tendem a ter menores taxas de fertilidade.

– Sou portadora de endometriose profunda e já fiz duas cirurgias, mas não da forma correta. Tenho focos no intestino, no reto e na bexiga, 38 anos, e ainda não consegui engravidar naturalmente. Tenho um grande sonho de ser mãe, mas como já me submeti a duas cirurgias tenho medo de perder mais reserva ovariana. Como saber se eu posso tentar uma inseminação antes de tentar a terceira cirurgia? Eliane Araújo – Amélia Rodrigues/ Bahia

Doutor Tomyo Arazawa: Olá Eliane! Em casos como o seu geralmente é recomendado avaliar a reserva ovariana atual antes de uma nova cirurgia. É importante saber também se há sinais de endometriose nos ovários.

Com base nessas principais informações: reserva ovariana, sintomas da endometriose e extensão da doença, pode-se chegar ao melhor planejamento para o seu tratamento.

Pode ser recomendado fazer uma fertilização in vitro antes da cirurgia para congelar embriões antes de uma terceira cirurgia. Nesse caso, a cirurgia deve ser feita de forma adequada, para aumentar as chances de sucesso da FIV.

Sobre o doutor Tomyo Arazawa:

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), doutor Tomyo Arazawa fez sua Residência Médica e especialização em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP. Foi o Preceptor de Ginecologia da FMUSP e se especializou em cirurgias minimamente invasivas (Endoscopia Ginecológica) também no Hospital das Clínicas da FMUSP, tais como cirurgias laparoscópicas, histeroscópicas e cirurgias robóticas.

Tem título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia e em Endoscopia Ginecológica, ambas pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia). É membro da Sociedade Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (SOGESP), da American Association of Gynecologic Laparoscopists (AAGL) e da International Pelvic Pain Society (IPPS).

Deixe seu comentário