“Com a Palavra, o Especialista”, Doutor Tomyo Arazawa!

0

A endometriose pode atingir qualquer região do corpo. Algumas, que a gente não escuta falar muito, causa mais dúvida, até mesmo para saber que região é essa. É o que acontece com a região úterossacro. 

Eu tive endometriose nesse local, e confesso que a dúvida pairou no ar! Eu tive a mesma dúvida, aliás, as mesmas dúvidas que recebi das leitoras. São dúvidas comuns, por isso, a coluna “Com a Palavra, o Especialista” é dedicada ao tema.

O doutor Tomyo Arazawa explica sobre a região, o grau da doença, sintomas mais comuns deste tipo de endometriose, como ela se manifesta e como retirar a doença neste local. 

Compartilhe mais um texto exclusivo A Endometriose e Eu e ajude-nos a levar uma nova conscientização da endometriose. Beijo carinhoso! Caroline Salazar 

Atenção: Esta coluna existe para tirar sua dúvida e para que você vá mais informada na sua próxima consulta. Porém, ela não substitui sua consulta médica, e, em hipótese nenhuma, tratamos de casos específicos nesta seção.

– Espessamento dos ligamentos úterossacro pode ser endometriose? Tive endometriose na trompa esquerda, fiz a videolaparoscopia 17 anos atrás, venho sentido dores e agora ela está mais intensa do que antes da cirurgia? Marinete Alves – Trajano de Moraes, Rio de Janeiro

Doutor Tomyo Arazawa: Olá Marinete! Pode ser sim, pois os ligamentos úterossacros são as estruturas pélvicas que mais comumente estão comprometidas por endometriose profunda. Se seus sintomas sugerem endometriose, e o exame físico ginecológico também (com toque vaginal doloroso na região desses ligamentos), a chance é grande de se tratar de endometriose. Como a sua cirurgia foi há muitos anos, vejo duas possibilidades: ou a doença não foi completamente retirada, ou em 17 anos outras lesões podem ter aparecido. Minha recomendação é de procurar um especialista para te avaliar!

– Gostaria de saber mais sobre a endometriose na região do úterossacro. Qual seria o grau desta endometriose, os principais sintomas, como se manifesta, e qual o tratamento para retirar a doença? Natália Barbosa – Mogi das Cruzes, São Paulo

Doutor Tomyo Arazawa: Olá Natália! A região dos ligamentos úterossacros é a região atrás do colo do útero. Ter endometriose nessa região não significa necessariamente que seja de grau avançado. O grau da doença depende da sua distribuição na pelve e corpo da paciente. Portanto, endometriose nesse local pode ser desde mínima (grau I), até avançada (grau IV) se estiver associada a várias outras lesões na pelve. Os sintomas dependem de outros fatores, como o próprio grau da endometriose. Mas os mais comuns são cólicas menstruais muito intensas, dor na relação sexual de profundidade, podendo ou não ter sintomas de urgência para urinar e desconforto para evacuar (mesmo não tendo endometriose na bexiga ou intestino, endometriose nessa região pode atrapalhar o bom funcionamento desses órgãos). O tratamento para retirar a doença é a cirurgia laparoscópica (ou robótica) para excisão dessas lesões. Todos os outros tratamentos hormonais não retiram a doença, e sim controlam os sintomas.

 

Sobre o doutor Tomyo Arazawa:

Médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), doutor Tomyo Arazawa fez sua Residência Médica e especialização em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital das Clínicas da FMUSP. Foi o Preceptor de Ginecologia da FMUSP e se especializou em cirurgias minimamente invasivas (Endoscopia Ginecológica) também no Hospital das Clínicas da FMUSP, tais como cirurgias laparoscópicas, histeroscópicas e cirurgias robóticas.

Tem título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia e em Endoscopia Ginecológica, ambas pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia). É membro da Sociedade Paulista de Ginecologia e Obstetrícia (SOGESP), da American Association of Gynecologic Laparoscopists (AAGL) e da International Pelvic Pain Society (IPPS).

Deixe seu comentário