‘Endobarriga’: o inchaço abdominal que confunde com gravidez!

0

Os sintomas da endometriose são diversos e muitos deles não são levados a sério pelos médicos, inclusive, por especialistas. O inchaço abdominal, por exemplo, que atinge mais de 80% das portadoras – como já falamos no texto “Endobarriga: por que ocorre o inchaço abdominal?” -, é um deles.

Olhando a foto que ilustra a matéria pensamos que Samantha está grávida, e quase que na reta final da gestação, não é mesmo?! Mas não, ela tem endometriose e sofre com a ‘endobarriga’. Que portadora que sofre com esse sintoma, nunca ouviu a pergunta: “Você está grávida?”

Minha barriga era tão, mas tão inchada que fiquei cerca de 7 anos sem usar jeans. Só usava legging. Foi uma felicidade quando entrei no meu velho e bom jeans.

Neste texto, o doutor Andrew Cook fala sobre a importância do olhar atento do (a) especialista sobre esse sintoma e por que ele pode persistir mesmo sem endometriose.

Precisamos de uma nova conscientização da endometriose, sem mitos, para que haja mais compreensão sobre a endometriose e seus sintomas, para que haja mais respeito com o que passamos.

Por isso compartilhe mais um texto exclusivo do blog A Endometriose e Eu e mostre que a ‘endobarriga’ é um sintoma comum da endometriose para que seja levado a sério. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

Barriga de Endometriose: o inchaço abdominal que confunde com gravidez

Por doutor Andrew Cook
Tradução: Alexandre Vaz
Edição: Caroline Salazar

“O trauma psicológico junto com a dor física tem sido demais. No entanto, os médicos estão pouco se importando com isso… Estou me sentindo totalmente abandonada…” – Samantha, quem ilustra a imagem do texto.

Você se sente por vezes tão inchada que parece até estar grávida? Ou as pessoas já lhe perguntaram se está grávida? Você tem algumas roupas (nota da editora: de preferência roupas largas, camisetas e calça legging) para essas ocasiões em que está tão inchada que precisa de uma medida acima do normal?

Talvez você seja como a Samantha, uma mulher que está tentando lidar com essa disrupção física inconveniente e embaraçosa, além de outros efeitos frustrantes e dolorosos da endometriose.                                            

Nós conhecemos a Samantha recentemente em um fórum sobre endometriose, e ela concordou em partilhar sua foto e história. De acordo com seu relato “passei a ir apenas ao dentista e médicos/hospitais, pois não suporto mais as pessoas olhando e pensando que estou grávida. Os médicos colocam a culpa do inchaço em outra coisa qualquer, mas nenhum investigou ou tentou fazer alguma coisa sobre isso. Eu ficaria tremendamente grata em receber algum tipo de ajuda, pois estou me sentindo totalmente abandonada.”

O inchaço severo que caminha de mão dada com a endometriose é frequentemente desconsiderado pelos médicos como sendo um sintoma menor. Para a portadora, no entanto, ele pode ser emocionalmente e fisicamente devastador.

A endobarriga é um exemplo do vasto leque de sintomas que as portadoras experimentam e um dos muitos mal entendidos sinais comuns acerca dessa doença. Médicos, portadoras e até especialistas de endometriose frequentemente entendem mal a causa principal de muitos dos ‘sintomas da doença’.

Eles são sempre resultantes da endometriose, ou poderão existir outras causas?

Tem existido um bom progresso na criação de conscientização da endometriose e de um tratamento ideal. Um tratamento correto da endometriose requer a excisão completa dos focos em vez de serem cauterizados.

A cirurgia que simplesmente queima a superfície dos focos deixando a doença por baixo é frequentemente associada a uma continuação ou recorrência dos sintomas pouco tempo após a cirurgia.

Contudo, essa não é a história completa, e para entender realmente essa doença, precisamos que exista conscientização das partes do quebra-cabeça que está em falta. Em meus 25 anos de prática especializada em endometriose, eu tenho avaliado a complexidade do padrão de sintomas com que muitas das minhas pacientes lidam.

Enquanto que aproximadamente metade das minhas pacientes são principalmente afetadas pela endometriose, o que pode ser eficazmente resolvido através de excisão cirúrgica, a outra metade tem outras doenças ou problemas de saúde que coexistem com a sua endometriose.

Nesse último grupo de pacientes, enquanto a cirurgia de excisão serve como base do seu tratamento, a completa resolução dos seus sintomas requer que olhemos os problemas adicionais, incluindo disfunção multissistêmica.

Nessas pacientes, é um erro assumir automaticamente que a continuação dos sintomas após a cirurgia se deve a endometriose persistente ou recorrente.

O real problema pode ser estendido para além desse diagnóstico e não é raro que englobe outras doenças frequentemente associadas, que podem ser mascaradas ou ensombradas pelo diagnóstico inicial de endometriose.

A “barriga de endometriose” pode ser o resultado dos focos de endometriose e pode melhorar após a remoção cirúrgica da doença.

No entanto, eles não são a única causa para a “barriga de endometriose” e outros problemas de saúde podem também ocorrer que causem ou contribuam para esses surtos bem conhecidos de inchaço extremo e distensão.

No nosso centro, nós abordamos a endometriose e os seus problemas de saúde associados a partir de um paradigma multidisciplinar incluindo medicina tradicional (exemplo: excisão cirúrgica), bem como uma variedade de modalidades integrativas e holísticas.

A nossa abordagem é baseada na mais recente informação científica. Tratamos a paciente por inteiro, não apenas a remoção cirúrgica dos focos de endometriose.

Outro exemplo disso é o papel do intestino, incluindo o microbioma humano (as bactérias que vivem no nosso intestino), como causa da dor pélvica e outros problemas de saúde.

Fonte: Vital Health
Texto postado no blogpsot em 09 de outubro de 2015

Deixe seu comentário