“Com a Palavra, o Especialista”, Doutor Hélio Sato!

0

Ultimamente tenho recebido muitas dúvidas sobre a endometriose umbilical. Um dos sintomas deste tipo de endometriose é sair sangue ou líquido pelo umbigo. A leitora quer saber se pode fazer curativo quando isso ocorrer.

Em “Com a Palavra, o Especialista”, o doutor Hélio Sato responde esta questão e também fala sobre as aderências pélvicas. A leitora questiona se esse problema pode ser genético, pois foi diagnosticada com elas, mas não tem endometriose e nunca teve infecções pélvicas.

Compartilhe mais um texto exclusivo A Endometriose e Eu e ajude-nos a levar uma nova conscientização da endometriose. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

Atenção: Esta coluna existe para tirar sua dúvida e para que você vá mais informada na sua próxima consulta. Porém, ela não substitui sua consulta médica, e, em hipótese nenhuma, tratamos de casos específicos nesta seção. 

– Tenho endometriose umbilical e quero saber se posso fazer curativo quando meu umbigo sangra? Sabrina Pereira – São Paulo/ SP

 

Doutor Hélio Sato: Olá! Sabrina, sim pode fazer o curativo com gaze, mas o tratamento recomendado em situações de endometriose umbilical é a remoção cirúrgica da área infiltrada e de todos os focos da doença.

 

– Doutor, tenho aderência na trompa esquerda e o mesmo ovário só é visto com ultrassom sobre a pele. Não tenho diagnóstico de endometriose e nunca tive infecção pélvica, portanto nada explica a aderência. Isso pode ser genético? Francine Moura – Ribeirão Preto/ SP

 

Doutor Hélio Sato: Olá! Francine, muito provavelmente não. Existem algumas infecções que acometem os órgãos reprodutivos, especialmente as trompas e que não manifestam sintomas. Até mesmo a endometriose pode formar aderências sem a paciente ter queixas.

 

Assim, sugiro que refaça as avaliações para entender se de fato não teve alguma infecção ou endometriose que lhe causassem essas aderências.

Sobre o doutor Hélio Sato:

Ginecologista e obstetra, Hélio Sato é especializado em endometriose, em laparoscopia e em reprodução humana. Tem graduação em Medicina, Residência Médica, Preceptoria, Mestrado e Doutorado em Ginecologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), e foi corresponsável do Setor de Algia Pélvica e Endometriose da mesma instituição. 
Hélio Sato tem certificado em laparoscopia pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e de Obstetrícia. É membro da AAGL “American Society of Gynecology Laparoscopy” e é sócio fundador da clínica de reprodução humana LABFORLIFE.

Deixe seu comentário