EndoMarcha 2020: Faltam 45 dias – você sabe quais são seus direitos?

0

Atenção, portadoras de endometriose! Continuamos na contagem regressiva para a 7ª edição da Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose, que será realizada em cerca de 70 países no dia 28 de março.

Você sabe quais são seus direitos como cidadã brasileira? Você sabia que ter acesso à saúde é um direito constitucional?

Pois é, na verdade ter tratamento completo da endometriose é um direito constitucional que todas as endomulheres já deveriam ter gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

É um direito do cidadão e dever do estado garantir acesso ao tratamento completo e correto.

Mas como o tratamento completo que engloba a cirurgia por excisão com o reconhecimento total dos focos – leia o texto: A aparência visual da endometriose e o seu impacto sobre nossos conceitos da doença” -, ainda é raro até nas clínicas particulares realmente precisamos lutar.

A verdade é que já pagamos impostos altíssimos e como a saúde é um direito de todos os cidadãos e assim está garantido no artigo 196 da Constituição Brasileira de 1988, se fosse fato o que é lei, nós não precisaríamos sair às ruas e lutar por nada.

Já era para ser um acesso universal, o que, infelizmente, não temos. Sem contar a nova conscientização, pois chegou o momento de olhar para nossas portadoras com muito amor para resolver seu problema e não lhe causar mais.

Porque quando uma mulher passa por cirurgia de cauterização, na qual não há a remoção total do foco, e depois passa por outra cirurgia da mesma forma, depois por outra, mais uma e, assim, sucessivamente, estão mutilando e aos poucos matando essa mulher.

Além de tantas outras que já morreram, como já contamos no A Endometriose e Eu a história da potiguar Dalvanir Avelino, que faleceu no banheiro, em novembro de 2017, enquanto estava internada à espera de sua 3ª cirurgia.

Agora, eu te pergunto: se Dal tivesse feito a cirurgia completa na primeira ou na segunda vez, ela não poderia estar aqui conosco? Por isso, desde 2018 trago à EndoMarcha São Paulo o endomarido de Dal, o fotógrafo Vlademir Alexandre.

Além de reivindicar acesso gratuito ao tratamento adequado pelo SUS, os direitos que já deveríamos ter, o papel da EndoMarcha Time Brasil também é conscientizar a sociedade sobre essa doença que atinge uma em cada 10 mulheres.

Há ainda outros direitos que sequer são assegurados no papel. Por exemplo, para algumas doenças graves é dispensada a carência para benefícios previdenciários de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez, o que não ocorre com a endometriose.

Outras doenças permitem isenção de imposto de renda, justamente pelo gasto que elas causam na renda familiar e ainda isenção de imposto para compra de veículos adaptados, como é o caso de pessoas que precisam de carros automáticos.

Mas nós, portadoras de endometriose, ainda não temos o direito à saúde, que é básico, assegurado na prática, quanto mais outros direitos. Por isso precisamos lutar por políticas públicas efetivas para as mais de 10 milhões de endomulheres brasileiras.

Se você mora próxima a alguma dessas cidades listadas abaixo, clique aqui e faça seu cadastro gratuito e vem lutar por sua saúde e seus direitos.

São Paulo, Sorocaba, Leme, Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte, Uberlândia (MG), Goiânia (GO), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Curitiba, Londrina, Maringá (PR), Florianópolis (SC), Salvador, Feira de Santana (BA), Recife (PE), Aracajú (SE), Fortaleza (CE), São Luís (MA), Boa Vista (RR), Manaus (AM) e Belém (PA).

A EndoMarcha é o único movimento legítimo em prol das portadoras de endometriose. E se você quer saber mais por que precisamos lutar por políticas públicas para as portadoras, leia o texto “Por que precisamos lutar por políticas públicas para as endomulheres?” 

Chega de silêncio, chega de ser invisível para a sociedade. Vamos mostrar que nós existimos e que somos muitas!

Chega de sofrer em silêncio! A união faz a força e juntxs somos mais fortes. Beijo carinhoso! A capitã, Caroline Salazar

Deixe seu comentário