Setembro Amarelo: Endometriose e suicídio – relato de um caso!

0

A endometriose é uma doença cercada de mitos e rótulos que podem levar muitas endomulheres à depressão, pois toda essa desinformação, além de atrasar muito o diagnóstico, acarreta tratamentos incompletos, que podem levar uma portadora à loucura.

Mas não adianta apenas falar, é preciso mostrar com histórias reais o que a falta de informação pode causar. Por isso traduzi esse texto de 2016 escrito pela doutora Philippa Bridge-Cook que fala sobre o suicídio de uma amiga relacionado à endometriose.

Não é fácil conviver com as dores da doença. E continuar propagando falácias sobre a doença causam mais sofrimento às portadoras.

Propagar o mito de que a endometriose é uma doença do “sistema reprodutor”, que vem do endométrio que descama do útero, que vai voltar já na próxima menstruação, contribui para mutilações desnecessárias e tratamentos incompletos e ineficazes.

Além disso, a falta de apoio dos médicos, especialmente, quando a cirurgia foi incompleta empurra ainda mais a endomulher para o abismo da depressão e, consequentemente, das tentativas de suicídio. E é sobre tudo isso que a doutora Philippa fala no texto.

As portadoras não podem aceitar menos do que elas merecem. Não podem aceitar tratamentos ineficazes que levam a mais sofrimento. Não podem aceitar que a forma de tratar a endometriose seja na contramão da ciência.

Por que só o Covid-19 tem que seguir as evidências científicas?

Neste texto, a doutora Philippa deixa bem claro o que levou sua amiga a tirar a própria vida: diagnóstico tardio, falta de escuta e apoio do especialista quando ela encontrou um e dor persistente possivelmente de sequelas após cirurgia.

Este é mais um texto para nosso especial “Setembro Amarelo”. Leia o primeiro texto de setembro deste ano do blog em alusão à conscientização e prevenção do suicídio. Nunca se esqueça, sua vida vale muito e você não está sozinha. Beijo carinhoso! Caroline Salazar 

Endometriose e suicídio!

Por doutora Phillipa Cook
Tradução e edição: Caroline Salazar

Era uma manhã normal. Eu estava bebendo chá e checando meus e-mails e mensagens no Facebook, começando meu dia de trabalho. Uma notificação do Facebook passou alegremente pela minha página: “É o aniversário de sua amiga. Deseje-a um feliz aniversário. Ajude-a a comemorar!”

De repente, meu dia tomou um rumo diferente. Eu escrevi no mural do Facebook dessa minha amiga, mas ela nunca verá. Ela se suicidou 8 meses atrás por causa de dores pélvicas diárias crônicas e severas associadas à endometriose.

A história da minha amiga, infelizmente, não é tão incomum. Sabemos por meio de estudos que a incidência de depressão e ansiedade em mulheres com endometriose é alta.

Nenhum estudo científico abordou a incidência de suicídio neste grupo específico, mas uma pesquisa realizada pela associação Endometriosis UK, no Reino Unido, constatou que 25% das mulheres com endometriose já pensaram em suicídio. 

Pessoalmente conheço várias dessas histórias trágicas. Minha amiga, como a maioria das mulheres com endometriose, demorou muito para ser diagnosticada e, depois disso, passou por muitos tratamentos ineficazes.

Ela finalmente passou por cirurgia de excisão e histerectomia, mas as complicações dessa cirurgia a levaram a ter fortes dores diárias mais tarde.

Embora os melhores cirurgiões de endometriose continuem acompanhando suas pacientes no pós-operatório e ajudando-as a resolver os problemas persistentes de dor, outros cirurgiões lavam suas mãos para a dor que persiste após a cirurgia.

Minha amiga se esforçou para encontrar médicos que a escutassem e a ajudassem, mas no final ela foi deixada sozinha com o sofrimento diário e, no final das contas, ela não conseguia mais lidar com isso.

Como disse Nancy Petersen, defensora da endometriose e enfermeira aposentada: “A endometriose não é fatal, mas o desespero pode ser” (nota da editora): Graças a Nancy conheci o doutor David Redwine e devo muito a ela o que sei sobre essa nova conscientização da endometriose, mas eu discordo dessa frase dela, pois eu sei o quanto a endometriose pode ser fatal, não só em tirar a vida (no sentido de morte), mas em tirar tudo que a portadora tem, seja na vida pessoal e ou profissional, entre muitas outras coisas.

Temos um longo caminho a percorrer para mudar a forma como o nosso sistema de saúde lida com a endometriose, que atualmente está falhando com muitas mulheres com essa doença.

De longos atrasos para diagnósticos à persistência de desinformação dos médicos sobre a doença, ao acesso precário aos cuidados multidisciplinares de qualidade – todas essas áreas e outras mais precisam de melhorias.

Enquanto isso, as mulheres continuam sofrendo, sentindo que sua qualidade de vida nunca vai melhorar e se sentem sem esperança e deprimidas sobre seu futuro.

Quero encorajar as mulheres que se sentem gravemente deprimidas ou com pensamentos suicidas a falarem com alguém sobre como estão se sentindo.

Não é um sinal de fraqueza dizer que você está tendo problemas para lidar com a situação, se sentindo deprimida ou oprimido.

Muitas mulheres com endometriose lidam com um monte de problemas diariamente e a maioria dos seres humanos tem seu limite de quantidade de problemas que pode suportar.

Por favor confidencie a um (a) amigo (a), ou membro da família ou ao seu médico. Se preferir falar com alguém que você não conhece, há associações locais que apoiam sobre o suicídio. Sua família e amigos (as) não querem te perder.

Se você é amigo (a) ou familiar de alguém que disse que é suicida ou que expressou pensamentos suicidas (leia as frases suicidas mais comuns das endomulheres no especial que estamos fazendo este ano nas redes sociais), por favor insista para que busque ajuda profissional mesmo que não queira.

Nota da editora: Leia também o texto de 2019 sobre o Setembro Amarelo onde falei, pela primeira vez, sobre esses pensamentos. Em 2020 estamos com slides especiais sobre o tema no Instagram @aendoeeu e na Fanpage, clique e siga as páginas.

Você pode ajudar ouvindo com empatia e sem julgamentos, mas qualquer pessoa em uma crise precisa de ajuda profissional. Se precisar de ajuda para encontrar um profissional adequado, você pode entrar em contato com uma organização local de endometriose ou centros de atendimento ao suicídio locais.

Apesar das lutas diárias da minha amiga, ela sempre tinha uma palavra amável para os outros. Ela assinou a maioria de suas mensagens para mim com “abraços gentis”.

Em sua memória, gostaria de estender abraços gentis a todas as pessoas que estão lutando contra a depressão como resultado de dor ou doença.

Fonte: Hormones Matter

Deixe seu comentário